Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arquivo Rua Direita

Arquivo Rua Direita

29
Set09

Rua com saída

Adolfo Mesquita Nunes

 

Ao longo das últimas semanas por esta Rua passou quem quis. Em comum, como dissemos logo no primeiro dia, tínhamos a convicção e a vontade de que o CDS devia ter um bom resultado eleitoral. Conseguimo-lo e isso deixa-nos satisfeitos. Mas se o resultado tivesse sido outro não teríamos menos orgulho na Rua que construímos.

 

Como prometemos também no primeiro dia, por aqui passou gente vinda de lugares distintos, gente que nunca se tinha cruzado, gente que só cá veio uma vez, gente para quem a política é apenas um momento, gente que vive a política com imensa intensidade. Mas o mais importante é que se cruzaram opiniões diferentes, propostas diversas, ideias nem sempre coincidentes, mas todas com um sinal comum: os valores da liberdade e da responsabilidade, uma ideia de Estado e uma noção de País.

 

Foram esses valores, essa ideia e essa noção que preferimos discutir aqui, passando ao largo dos casos e das pequenas polémicas que marcaram a campanha. Soubemos sempre, desde o início, que o nosso caminho era outro. Eventualmente perdemos audiências. Mas, ainda assim, uma média de 1315 visitas por dia ultrapassou em muito as nossas expectativas.

 

Os partidos não devem ser espaços monolíticos onde só cabe uma ideia, nem lugar nenhum onde cabe tudo. Nós, que não somos a voz do CDS, somos o CDS dos eleitores (dos que têm e vêm à net, mas não só). Os eleitores que aqui passaram não são apenas o futuro do CDS. Eles são o presente do CDS e foi por eles e com eles que se testemunhou o crescimento eleitoral do CDS. De resto, esta Rua mostrou como o CDS é muito mais do que aquilo que muitas vezes o fazem parecer. Coisa que os leitores da Rua perceberam e os eleitores também.

 

Obrigado por terem feito este caminho connosco. E obrigado ao CDS por ter merecido este esforço e este resultado. Ao longo destas semanas fizemos a nossa parte, com convicção. É tempo de fechar esta Rua.

 

Chegámos ao fim e no fim chegámos onde queríamos. Agora, cada um seguirá o seu caminho, com o mesmo espírito, e pelas ruas onde andarmos seremos os mais exigentes de todos para com o CDS. Como sempre.

 

Os autores do Rua Direita

28
Set09

A Pedra no Sapato

Bernardo Campos Pereira

Não foi o lirismo do bloco -nem a (im)possibilidade de uma coligação Louçã/Socrates- que trouxe ar novo à nossa democracia, foi a pedra no sapato que baralhou as contas da esquerda e que promete dinamizar a política portuguesa. Parabéns CDS!

28
Set09

E somos MAIS

Margarida Furtado de Mendonça

Porque há cada vez mais pessoas a pensar como nós. É um facto.

Porque há cada vez mais pessoas que acreditam em quem trabalha e não baralha. Ainda não suficientes, mas são cada vez mais. Que devolveram ao CDS um resultado histórico.

É este o caminho, e é...é demorado.


Estou contente por ter aqui passado, por saber que a Rua Direita segue cada vez mais a direito, porque os portugueses quiseram. Há becos à esquerda, e não são pequenos mas, becos que são, não têm saída e por si hão-de acabar.


É preciso acreditar. É preciso trabalhar.

Parabéns ao CDS, a todos os que se esforçaram e conquistaram cada voto. Parabéns e obrigada.


 

28
Set09

Parabéns CDS!

Afonso Arnaldo

Vizinhos de Rua e caros passantes,


 

Parabéns CDS! (ler alto e com vigor)

 

Sinto-me hoje um homem politicamente realizado. Não apenas pelo resultado do CDS, mas também por senti-lo um bocadinho meu (mesmo que infimamente…). Além do meu voto, pude contribuir nesta Rua Direita com alguns “dizeres” que procuraram justificar os meus porquês. Foi uma honra ter recebido o convite para morar aqui estes tempos e um enorme prazer ter partilhado a rua com todos. É bom estar acordado politicamente e sentir que se pode contribuir com um pouco mais do que “apenas” a cruz no boletim de voto.

 

Vivemos hoje tempos desafiantes para Portugal. Esta meta a que o CDS se viu ontem chegado não é, afinal, mais do que um “ponto de abastecimento” numa prova de fundo (e olhem que ganhámos muita energia!!). Da minha parte, continuarei a ajudar Portugal com o meu trabalho, a minha produção diária. Com a educação dos meus filhos no seu sentido de responsabilidade e consciência de que o bem público está, antes de mais, nas mãos de cada um de nós (nomeadamente, no respeito e na ajuda que devemos ao próximo). Com, enfim, os olhos postos no nosso futuro comum.

 

Um grande bem-haja a todos,

 

Afonso
28
Set09

E com esta me vou: gostei muito deste bocadinho

Rua Direita
28
Set09

Para a frente é o caminho...

Maria Domingas Carvalhosa

Vinte seis anos depois, o CDS alcançou uma dinâmica que lhe permitirá, no futuro, ocupar a posição de relevância que o país merece. Está de parabéns!


 


Agradeço ao Dr. Paulo Portas a clareza do seu discurso em toda a campanha eleitoral. Não tenho dúvidas que essa mesma clareza e frontalidade foram uma das razões que levou o CDS a alcançar este excelente resultado. Os portugueses, hoje, não têm dúvidas sobre as ideias e propostas do CDS para a educação, para a segurança interna, para a política fiscal, para a segurança social, para a saúde…independentemente de concordarem, ou não, com as mesmas.


 


Agora, há que continuar com esta fantástica dinâmica. Grande parte desta responsabilidade caberá aos vinte e um novos deputados do CDS, ontem eleitos pelos portugueses. Mas a restante cabe-nos a nós, que acreditamos na força deste partido. E para isso cá estaremos.


 


Aos meus colegas de rua, agradeço os excelentes textos que aqui publicaram. Permitiram-me momentos de reflexão muito interessantes. Mas, mais importante ainda, confirmaram que o CDS é um partido que possui um capital humano de grande qualidade e um partido que se apresenta, no futuro, com um forte potencial governativo.


 


Força CDS, que para a frente é o caminho!

Pág. 1/57

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Contacto

ruadireitablog [at] gmail.com

Arquivo

  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2010
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2009
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D