Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Arquivo Rua Direita

Arquivo Rua Direita

10
Set09

E o vencedor é...

Nuno Miguel Guedes

No debate entre Paulo Portas e Manuela Ferreira Leite venceu a clareza da mensagem. E alguma razão.


 


Em princípio, os debates que juntam líderes políticos com uma mancha comum de eleitorado pela qual lutam prometem sempre mais. É uma tarefa difícil, a de gerir uma cortesia que é dada pelas semelhanças de propostas com a agressividade que é necessária para se fazer perceber as diferenças. Nesse respeito, Paulo Portas, como sound bite master que é, venceu em toda a linha, com uma ou outra excepção. Mas também é preciso dizer que este formato de debates pouco mais serve, do ponto de vista do espectador, do que apreciar a natureza humana de cada participante (leia-se: quem é que perde a cabeça primeiro, se há "sangue" ou não). Em matéria de esclarecimento real sobra pouco - mas apesar de tudo mais do que o formato "tudo ao molho" do Prós&Contras. Adiante.


 


Já se sabia à partida que a opção pela discrição e restrição à "política de verdade" de Manuela Ferreira Leite não funciona em televisão. Este assumido posicionamento anti-linguagem mediática (que é em si um posicionamento de estratégia mediática, mas isso fica para outro dia) torna tudo muito mais difícil para a líder do PSD. Portas é o contrário; e inicia o debate distanciando-se com clareza da mancha ideológica que poderia haver - o CDS não é um partido "supletivo" e sobretudo é "claro onde o PSD é ambíguo e diferente onde o PSD é igual ao PS". Bom ataque ao "Centrão", com a introdução do conceito de ruptura serena.


 


A dra. Ferreira Leite replicou bem e provavelmente com o primeiro sound bite correcto que lhe ouvi desde que foi eleita:"O nosso objectivo é que o próximo primeiro-ministro não seja José Sócrates". Bom de ouvir, directo e um pedido ímplicito ao  voto do eleitorado CDS.


 


Depois os temas foram discutidos do modo possível: Portas a reclamar para o CDS o "voto de clarificação" ao mesmo tempo que reclamava com o alegado abuso do seu tempo, como ontem Cristiano Ronaldo fazia sempre que caía no chão: sem razão. Mas explicou as áreas em que o programa do PSD lhe parecia ambíguo sem uma resposta clara de Manuela Ferreira Leite. A líder do PSD tentou entretanto colar o programa do CDS para a redução da Taxa de Rendimento Mínimo como uma medida injusta e de direita radical. Portas não conseguiu ou não teve tempo para a contrariar.


 


Mas foi na questão da Justiça e Segurança - quanto a mim os pontos mais sólidos do CDS - que Portas ganhou o debate. Não chegou a Ferreira Leite lembrar a abstenção do CDS aquando das alterações ao Código Penal (que ambos responsabilizam pelo aumento de criminalidade): Portas apresentou medidas concretas e não obteve resposta.


 


Sobre Sócrates, a coisa foi pacífica. Mas Manuela Ferreira Leite não consegue visivelmente conviver com a espinha que o PSD tem atravessada há quase 30 anos: Alberto João Jardim. À acusação de Portas de que na Madeira existe um regime "caciquista", Ferreira Leite remeteu a "asfixia democrática" para o continente. Muito mau, se lembrarmos a extraordinária resposta a uma jornalista que lhe perguntou sobre o deputado impedido pelo PSD de entrar na Assembleia Regional: "Sobre represálias políticas não comento". Provavelmente porque não têm importância...


 


Enfim. Foi uma vitória técnica de Portas, mais habituado a estas andanças e com sentido claro da mensagem que tem de passar. Manuela Ferreira Leite ainda teve tempo para um name-dropping dispensável ("Eu ontem estive com a Chanceler Merkel..."), mas a sensação que deixou foi a de uma professora muito aborrecida com um aluno que sabe mais do que ela.


 


(também publicado aqui)

1 comentário

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Contacto

ruadireitablog [at] gmail.com

Arquivo

  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2010
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2009
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D